sexta-feira, 16 de agosto de 2013

O Planeta X ou NIBIRU (Hercólubus)

Finalmente a verdade sobre Hercólubus ou NIBIRU está vindo à tona. No final da postagem há alguns vídeos que mostram 02 (dois) sóis no firmamento. Iremos explicar a ocorrência desse fenômeno.
Não é montagem. É real. As imagens de diversos ângulos e de diversas partes do mundo são autênticas.
NIBIRU, também chamado de Planeta X (10º planeta),  cruza o sistema solar a cada 3.600 anos entre as órbitas de Marte e Júpiter. Na verdade esse planeta teria sido confudido com uma estrela do tipo Anã- Marrom ou Estrela Escura (Dark Star), pois a sua aparência na abóbada celeste é a de um  sol MENOR. Dizemos isso, porque alguns acreditam que esse corpo celeste seja na verdade uma estrela pequena e que haveria alguns planetas orbitando ao seu redor. Baseado nessa suposição, o sistema solar seria um sistema BINÁRIO ( quando uma estrela gira ao redor de outra).
Visto do telescópio o planeta é vermelho luminoso com emanações laterais ao longo do seu equador,  rodeado de alguns satélites (luas) e acompanhado por inúmeros cometas  e asteróides. Essa descrição é compatível com as antigas gravuras e esculturas sumerianas sobre NIBIRU,  sempre representado como uma ESFERA  ALADA.



 NIBIRU é uma palavra da antiga escrita Suméria que significa: "aquele que cruza". Acredita-se que esse corpo celeste gigantesco (massa de 3 a 4 vezes a de Júpiter) possua SETE luas orbitando ao redor de sua massa, também há cometas que o acompanham, sendo que o principal foi denominado de Elenim. Hoje, o cometa Elenim já não existe mais, pois foi pulverizado em seu trajeto depois de ter acompanhado o planeta Niburu por muito tempo. Nesse período, uma maneira de localizar NIBIRU no Cosmos seria localizar aquele que lhe precedia, ou seja, o cometa Elenim . NIBIRU  tem uma órbita elíptica grandemente alongada, o suficiente para  atravessar nosso sistema solar.
A NASA - a Agência Espacial Americana monitorou o cometa Elenim de junho de 2007  até meados de 2012. Acompanhar Elenim era uma maneira segura de monitorar a trajetória de NIBIRU. Em dezembro de 1983 um jornal canadense (The Gazette  Montreal) e outro americano (The Washington Post) publicaram uma reportagem sobre um gigantesco corpo celeste adentrando o sistema solar, onde dizia que os cientistas não sabiam se se tratava de um planeta, um cometa gigante ou uma proto-estrela (estrela fria). Desde então a NASA e outras agências espaciais não pararam de lançar telescópios no espaço. Infelizmente, a NASA e outras agências espaciais nunca admitiram oficialmente a existência de Nibiru. Provalvelmente, devido a possibilidade desse corpo celeste ser parcialmente habitado por uma ciclização alienígena de certo modo mais avançada que nós.



A órbita de NIBIRU  fica em um plano transversal ao plano das órbitas elípticas dos planetas do sistema solar (cerca de 30 graus em relação ao nosso plano solar ou da elíptica). Ele gira no sentido contrário aos demais planetas do sistema solar.
A maior proximidade de NIBIRU da Terra se dará quando ele passar da parte inferior do plano elíptico do nosso sistema para a superior, quando sua aparência no céu será avermelhada e visível em todo o Globo Terrestre, a semelhança de um pequeno sol do tamanho aproximado da Lua.
De julho a Dezembro de 2012 NIBIRU foi visto no céu como um ponto luminoso bem nítido ao lado do Sol.


A aproximação de NIBIRU começou a ser  observada com mais intensidade a partir de maio de 2009. O seu afastamento está previsto para a  partir de Julho de 2014.


É importante falar que o planeta X tem aproximadamente 4 vezes o tamanho da Terra, e que exerce forte atração gravitacional por onde quer que passe.
Essa passagem causará possíveis peturbações de natureza eletro-magnética no globo terrestre.
Alguns acreditam que NIBIRU seja habitado em parte por uma civilização antiga conhecida como "ANUNAKIS" ou "NEFILINS". Acredita-se também que foram os seres dessa civilização que transmitiram aos antigos ( egípcios, sumérios, babilônios, caldeus, maias, etc) diversos conhecimentos de astronomia, que  foram comprovados posteriormente com o uso telescópios e de outros instrumentos avançados de observação astronômica.



No século 4º Antes de Cristo, os Sumérios já sabiam da existência desse planeta e de todos os outros do sistema solar, apesar deles terem sidos descobertos oficialmente muito tempo depois, entre os séculos 17 e 20. Como os Sumérios alcançaram esse conhecimento a tanto tempo atrás?
O certo é que  NIBIRU  existe e que aproxima do nosso sistema e da  Terra. As filmagens mostram isso.
Ele passará bem próximo da Terra em alguma data futura. As imagens filmadas de NIBIRU ou HERCÓLUBUS em diversos lugares nos servem de alerta para o que está prestes a acontecer.


A CNN (rede de televisão americana) recentemente noticiou a presença  desse objeto nos limites do sistema solar, veja o vídeo de 33 segundos:


Abaixo vídeo que  mostra uma citação bíblica, mesmo que implícita, sobre a passagem do planeta NIBIRU  pelo sistema solar e suas consequências:



Vídeos que mostram dois sóis no firmamento:






DEVOCIONAL:

O que a Bíblia fala de NIBIRU? Há uma luz em Apocalipse 6:12-17. É o texto bíblico que dá a entender tratar-se da passagem de NIBURU em seu ponto mais próximo da Terra. Atentar para as seguintes colocações:
a) O sol se torna escuro - eclipse provocado por NIBURU ( o planeta é de 4 a 5 vezes, no mínimo,  maior que a Terra). Haverá um eclipse total que talvez dure alguns dias.
b) A lua se torna em crina (cor vermelha). Nessa época, visto do céu,  o tamanho de NIBURU será aproximadamente a de uma lua cheia e de cor avermelhada.
c) As estrelas caindo do céu - quando NIBURU passar pelo cinturão de asteróides de Júpiter, sua atração gravitacional irá capturar muitos asteróides, que por sua vez serão atraídos pela gravidade da terra quando NIBURU passar próximo ao nosso planeta. Essas rochas ao adentrarem a superfície terrestre se incendiarão, produzindo um espetáculo digno de uma festa de fogos de artifícios. Portanto são estrelas cadentes, conforme o relato bíblico.
d) Montes e ilhas movidos do lugar - A passagem de NIBURU submeterá o planeta Terra a mudanças de grande amplitude, inclusive causando fortes pertubações no movimento das placas tectônicas que formam os continentes (terremotos com alteração da configuração da crosta terrestre).



Nenhum comentário:

Postar um comentário